Minha primeira fanfic: Déjà Vu

•julho 1, 2010 • Deixe um comentário

Essa é a primeira fanfic que eu escrevo sobre a saga Crepúsculo, então resolvi postar o link para quem se interessar em ler.

Leiam Aqui

Ps: Se gostarem, deixem reviews por favor!

Anúncios

Kristen Stewart mostra novo visual e se irrita no programa de David Letterman

•junho 30, 2010 • Deixe um comentário

A dois dias do lançamento de “Eclipse”, Kristen Stewart se sentou no sofá de David Letterman para falar do filme e, como sempre, também da sua vida pessoal. E a atriz ficou visivelmente incomodada em dois momentos da entrevista.

Primeiro, quando falou que estava viajando com Taylor Lautner para promover o filme pois Robert Pattinson estava trabalhando. “Nós nos divertimos muito juntos”, afirmou. O público começou a rir imediatamente, entendendo que a atriz seria namorada de Pattinson, mas saindo com o colega. Em seguida, ela afirmou que Taylor é muito “ativo”, o que causou mais gargalhadas no público e fez com que a atriz se irritasse. “Não foi isso que eu quis dizer. Sou muito inocente”, afirmou.

 

Depois, Kristen mostrou fotos de um de seus bichos de estimação, um cão da raça wolf-dog, uma mistura entre lobos e cachorros. A conversa ia bem, até que o apresentador falou sobre os lobos que são caçados e como isso serve para manter o número de animais sob controle. “Isso é horrível! Por que os caçadores estão em um situação privilegiada, atirando neles”, disse, quase perdendo a paciência.

Kristen Stewart também chamou a atenção no programa por aparecer com o cabelo bem curto e mais claro.

Robert Pattinson e Kristen Stewart estão mesmo namorando, confirma produtor de ‘Eclipse’

•junho 30, 2010 • Deixe um comentário

Wyck Godfrey conversou sobre a revista “Time” sobre o filme e disse que romance dos astros não atrapalha o trabalho

Robert Pattinson e Kristen Stewart nunca admitiram que estão namorando fora das telas. Mas, em entrevista à revista “Time”, Wyck Godfrey, produtor da saga “Crepúsculo”, confirmou que os astros estão mesmo juntos.

A repórter Kimberley French jogou verde e, em vez de pedir que ele dissesse se os dois namoram, afirmou que todos falam sobre o romance de Robert e Kristen e perguntou como isso afeta os negócios. Wyck Godfrey falou muito naturalmente, como se todos já soubessem que o namoro é real, e disse que não se preocupa muito com isso.

“Honestamente, não penso nisso em termos de negócios. Isso não afeta nosso trabalho de nenhuma forma. O que eu realmente penso é, ‘meu deus, espero que eles fiquem juntos’. Porque o clima no set pode ficar estranho para o próximo filme se eles terminarem. Eles vão ter de interpretar esse amor em mais dois filmes. Eu espero que eles continuem juntos, por favor, continuem juntos. É isso que me afeta no dia a dia”, afirmou Godfrey.

O produtor também diz que a tendência é que o romance de Robert e Kristen deixe de ser motivo de especulação com o tempo. “Eu não acho que isso continua em alta. As pessoas continuam falando disso? As prateleiras se cansam de quem tem uma vida pessoal estável”, diz.

Mas, se Godfrey já fala do namoro dos astros como se fosse notícia do ano passado, em entrevista ao “Fantástico” do último domingo (25), Robert Pattinson disse que só vai assumir o romance quando “o sol ficar preto”.

Ashley Greene será inimiga de Miley Cyrus em filme

•junho 30, 2010 • Deixe um comentário

‘LOL’ é refilmagem de comédia francesa com Demi Moore no elenco.
Produtora do filme é a mesma de ‘Juno’, vencedor de Oscar em 2007.

A atriz Ashley Greene, a Alice Cullen da saga “Crepúsculo”, está em negociações para estrelar um filme com a musa teen Miley Cyrus e a atriz Demi Moore. O longa será uma remake de uma comédia francesa.

Intitulado “LOL”, traz a história de uma adolescente (vivida por Miley) que é deixada pelo namorado ao mesmo tempo em que sua mãe (Demi) luta para seguir em frente após um divórcio.

Ashley será a garota má da escola, e o ator Thomas Jane (da série “Hung), o pai da personagem de Miley. Outros atores do elenco são Ashley Hinshaw e Douglas Booth.

A direção será de Liza Azuelos, que fez o filme original. A produtora é a Mandate Pictures, a mesma da comédia “Juno”.

Leia trecho de ‘A breve segunda vida de Bree Tanner’

•junho 30, 2010 • Deixe um comentário

Ação do volume é narrada por garota-vampira que aparece em ‘Eclipse’.

Livro é o mais recente sucesso mundial da escritora Stephenie Meyer.

“A segunda vida de Bree Tanner” é o mais novo sucesso de autoria de Stephenie Meyer, a escritora da saga “Crepúsculo”.

O livro conta uma história que acontece em paralelo à mostrada no livro “Eclipse” – cujo filme chega aos cinemas nesta quarta-feira (30).

A trama é narrada por uma jovem vampira, uma “recém-criada”, que se vê às voltas com um novo mundo.

O livro já é considerado um sucesso: só no primeiro mês desde seu lançamento vendeu mais de 1 milhão de cópias nos Estados Unidos.

No Brasil, também segue liderando rankings em muitas livrarias.

Leia trecho do livro abaixo

(…) Da rua lá embaixo vinham os sons da noite em uma área pobre de Seattle. Poucos carros, o som pesado do baixo nas músicas, algumas pessoas caminhando com passos nervosos, rápidos, um bêbado cantando desafinado ao longe.

— Você é a Bree, não é? — perguntou Diego. — Uma das recém-criadas.

Eu não gostava disso. Recém-criada. Que fosse.

— Sim, eu sou a Bree. Mas não cheguei com o último grupo. Tenho quase três meses.

— É bem rápida para quem só tem três meses — ele disse. — Poucos teriam conseguido sair da cena do acidente desse jeito. — Ele falou como um elogio, como se estivesse realmente impressionado.

— Eu não queria me misturar àqueles malucos do Raoul.

Ele assentiu.

— Amém, irmã. Esse tipo só arruma encrenca.

Esquisito. Diego era esquisito. O jeito como ele falava, como uma pessoa conversando normalmente. Sem hostilidade, sem desconfiança. Como se não estivesse pensando em quanto seria fácil ou difícil me matar naquele exato momento. Estava apenas conversando comigo.

— Há quanto tempo está com Riley? — perguntei, curiosa.

— Quase onze meses.

— Uau! Você é mais velho que Raoul!

Diego revirou os olhos e cuspiu veneno de cima do prédio.

— Sim, eu lembro quando Riley chegou com aquele traste. Depois disso, tudo só foi ficando muito pior.

Fiquei quieta por um momento, imaginando se ele considerava qualquer um mais jovem que ele um traste. Não que eu me importasse. Não me incomodava mais com o que os outros pensavam. Não precisava me incomodar. Como Riley dizia, agora eu era uma deusa. Mais forte, mais rápida, melhor. Ninguém mais importava. (…)

Livro sobre Bree já vendeu 1 milhão

•junho 30, 2010 • Deixe um comentário

Garota aparece à margem em livro e no novo filme da saga ‘Crepúsculo’.
Livro, que Stephenie Meyer nem pensava lançar, já é best-seller mundial.

Até pouco tempo, se você perguntasse a um fã dos romances da série “Crepúsculo” quem é Bree Tanner o mais provável é que recebesse uma cara de interrogação como resposta.

Presente de forma secundária, quase escondida, em algumas páginas do livro “Eclipse” – e em poucos minutos do filme que chega aos cinemas nesta quarta (30) -, a personagem se transformou no centro das atenções do mercado literário desde o lançamento de “A breve segunda vida de Bree Tanner”, mais novo fenômeno editorial da autora Stephenie Meyer.

Em menos de um mês, o livro paralelo aos eventos narrados na saga “Crepúsculo” já vendeu 1 milhão de cópias só nos Estados Unidos. No Brasil, onde sai pela editora Instrínseca, a nova obra de Stephenie Meyer já lidera a lista de livros mais vendidos nas principais livrarias online. E assim segue, sempre no topo, em nações como Alemanha, Austrália, Canadá, Portugal e Espanha.

Mas, afinal, quem é Bree Tanner? A resposta surge logo nas primeiras das 192 páginas do novo livro (mais enxuto do que os episódios da saga, calhamaços que chegam a ter mais de 500 páginas).

A garota é uma “recém-criada” (termo usado por vampiros para designar aqueles que acabam de ser transformados em imortais) e, nessa condição, pouco sabe a respeito de suas limitações e necessidades vitais.

Soldado do exército de Victória
“A breve segunda vida de Bree Tanner” tem a ação transcorrida em paralelo à trama de “Eclipse”.

Nela, Bree – narradora de sua própria história – se junta a um exército cooptado em Seattle pelo vampiro Riley, a mando da também vampira Victória, para voltar à cidade de Forks e vingar a morte de James, assassinado pelo clã dos Cullen no primeiro episódio da saga.

Adolescente e “criada” há pouco mais de três meses, a garota não tem noção do mundo para o qual entra após ser vampirizada.

Leia trecho de “A segunda vida de Bree Tanner”

Sozinha, acaba encontrando em outro novato, Diego, companhia para sobreviver entre as criaturas da noite e aprender a matar para saciar a sede de sangue humano. Aos poucos, a jovem vai sendo convencida por Riley de que corre o risco de ser exterminada caso não lute contra os Cullen. E é treinada para matar.

No embate final, já em Forks e com Victória decapitada por Edward Cullen em defesa da vida de Bella Swan, Bree se rende e tem sua guarda tomada pelos Cullen. Mas outro clã vampiresco, os influentes Volturi, é que darão o veredito sobre sua vida…

Do fundo da gaveta
Em seu site oficial, a escritora Stephenie Meyer revela que, inicialmente, não tinha a intenção de lançar a história de Bree Tanner como um livro à parte.

“Na verdade, é mais um conto do que um romance”, explica. “Enquanto editava ‘Eclipse’ pensava muito a respeito dos ‘recém-criados’, imaginando sua visão da história e uma coisa ligou à outra. Comecei a escrever através da perspectiva de Bree e de como era ser um novo vampiro.”

Stephenie, que desenvolveu a saga que a tornou milionária e uma das autoras mais importantes da literatura pop a partir de um sonho, mostrou o manuscrito ao diretor de “Eclipse” David Slade e concluiu que lançar o livro às vésperas da chegada do novo filme serviria como um complemento aos fãs da saga, que veriam Bree nos cinemas.

A seus leitores, aliás, a escritora dedica devoção semelhante a que recebe: o livro é oferecido até o próximo dia 5 de julho para ser lido por inteiro e de graça em um link de seu site.

E para reforçar a aura politicamente correta da saga de vampiros românticos que renunciam ao sangue humano anuncia que doará um dólar de cada livro comprado nos EUA a associações que assistenciam locais atingidos por tragédias, como o Haiti.

A julgar pela performance do primeiro mês de venda, as nações pobres tem muito a se beneficiar com a aventura da ‘recém-criada’ Bree.

‘Eclipse’ decreta o fim da inocência na saga ‘Crepúsculo’

•junho 30, 2010 • Deixe um comentário

Terceiro filme inspirado na série de Stephenie Meyer estreia nesta quarta.

Disputa entre vampiro e lobisomen por mocinha injeta testosterona na trama.

Batalhas entre vampiros e lobisomens em cenas em que jorram sangue e cabeças são decepadas. Forte tensão sexual na disputa entre o vampiro Edward Cullen e o lobisomem Jacob Black pela mortal Bella Swan. “Eclipse”, terceiro filme da saga “Crepúsculo”, que estreia nesta quarta-feira (30), recebeu uma injeção de testosterona na adaptação do diretor David Slade.

Escrita em 2007 pela americana Stephenie Meyer – fenômeno literário com a série romântica que recolocou os vampiros na cultura pop – a trama gira em torno da escolha definitiva de Bella pelo amor de Edward. O que implica em abandonar a existência humana por uma eternidade ao lado do namorado morto-vivo.

Se em “Lua nova” (2009) o cineasta Chris Weitz já havia apresentado uma atmosfera menos ingênua que a que Catherine Hardwicke imprimiu a “Crepúsculo” (2008), nesta adaptação do terceiro volume do best-seller é decretado o fim da inocência e do amor platônico.

Diretor de videoclipes de bandas roqueiras como Muse e Stone Temple Pilots, e do terror “30 dias de noite”(2007), Slade acerta no tom angustiante e sombrio que agregra à história. Diferente dos dois primeiros filmes, nos quais a mocinha não titubearia na decisão de virar vampira para viver seu grande amor, em “Eclipse” a dúvida é constante.

A todo momento Bella é confrontada com os prazeres que perderá da vida de mortal: a velhice ao lado dos netos, os abraços quentes das pessoas que ama, a brisa no rosto num fim de tarde. E o assédio do lobisomem Jacob, moreno musculoso e tatuado que oferece uma paixão mais caliente que os carinhos gelados do parceiro de caninos afiados, abalam de vez as convicções da garota.

Triângulo amoroso pop

Bella e Edward são interpretados por Kristen Stewart e Robert Pattinson, atores pouco conhecidos em Hollywood até então. Desde a estreia “Crepúsculo”, a dupla forma o casal-sensação da vez – e as especulações sobre um romance na vida real só aumentam a idolatria dos fãs.

No entanto a presença agora mais significativa é a de Taylor Lautner, o lobisomem. Com o lançamento de “Eclipse”, o ator promete roubar parte dos flashes dos Stewart-Pattinson.

Quem for ao cinema disposto a acompanhar a trama deve se preparar para os gritos das fãs. Quase sempre descamisado, Lautner eleva a temperatura exibindo o dorso e o abdôme malhado, além de uma boa dose de charme. Enfim, o ator parece ter encontrado o tom do personagem – pelo menos o suficiente para ofuscar o muso teen Pattinson em algumas das cenas.

“Lobisomens são mais quentes”, debocha Jacob. “Ele sempre esquece de colocar uma camisa?”, ironiza Edward. São nas farpas entre os dois personagens que o filme encontra seus momentos de humor, em meio ao drama sobrenatural.

Virgindade

Bella tenta fugir da tentação do lobisomem sedutor, mas não se conforma com a conduta “à moda antiga” de Edward. O vampiro, conservador, insiste que a amada se mantenha virgem até o casamento.

Até a heroína da trama, que aparece bem mais libidinosa que nos longas anteriores, considera o ideal de “pureza” de Edward “arcaico”. Mas ainda assim, respeita e segue a vontade do vampiro bom-moço.

Na première do filme na segunda-feira (28), alguns adolescentes na sala de cinema davam risinhos debochados quando termos como “virgindade”, “se entregar” e “esperar o casamento” apareciam nos diálogos – reflexos dos valores religiosos de Stephenie Meyer, que segue a doutrina Mórmon.

O vale-tudo sobrenatural

A virilidade de lobisomens e vampiros não é posta a prova apenas no duelo amoroso entre Edward e Jacob. Há uma guerra prestes a acontecer em Forks – a cidade gelada na qual vivem os personagens da história.

Jovens recém-vampirizados em Seattle se preparam para invadir a região. O exército de chupadores de sangue é comandados pela vampira Victoria (Bryce Dallas Howard) – inimiga de Edward e Bella.

Boas cenas de luta entre lobisomens e vampiros, com efeitos especiais caprichados, fazem de “Eclipse” o melhor – e mais violento – filme da saga. É aí também que o diretor põe fim à inocência: diferente dos Cullen, que não consomem sangue humano, os novos vampiros adoram a iguaria e a obtém a custo de pescoços e costelas quebradas.

Com mais nitroglicerina e sensualidade, “Eclipse” deve agradar não apenas aos adeptos do fenômeno “Crepúsculo”. Mas tem potencial para chamar a atenção de quem gosta de cenas de ação e um clima quente entre jovens atores bonitos em evidência.